Fotografo: Ilustrativa
...
Quatro pessoas foram detidas em uma operação conjunta da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar

Quatro pessoas foram detidas em uma operação conjunta da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar desencadeada no sábado (28.09), com objetivo de combater incêndios criminosos ocorridos no município de Santa Terezinha (1.312 km a Nordeste de Cuiabá).
 
A operação foi deflagrada depois que as forças de segurança da região receberam várias denúncias de que a Fazenda Ouro Branco, também conhecida como “Araguaia”, vinha provocando incêndios criminosos com intuito de limpar a área da propriedade, para novo plantio. Depois de queimada a área, um avião joga sementes na propriedade para fazer a plantação.
 
Com base nas informações, as equipes da Polícia Civil e Militar passaram a monitorar na região, descobrindo que no sábado (28), os funcionários da fazenda colocariam fogo no restante da área, que não queimou no incêndio causado no mês de agosto.
 
Em continuidade à ação, os policiais coordenados pelo delegado José Getúlio Daniel, cercaram a propriedade e conseguiram identificar e deter quatro funcionários da fazenda pelo crime ambiental de provocar incêndio, previsto no artigo 41, da Lei nº 9.605/98.
 
Na abordagem, os funcionários informaram que colocariam fogo na área a mando do dono da fazenda. Com eles, os policiais apreenderam quatro isqueiros, uma mangueira preta, um galão de 20 litros contendo óleo diesel e um capucho, utilizado para colocar fogo na vegetação.
 
Próximo ao local, havia 18 posseiros munidos de bomba costal cheia de água para apagar o fogo, caso o incêndio se alastrasse para as suas terras, causando maior prejuízo aos moradores, queimando pequenas áreas de terra.
 
Os quatro suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Santa Terezinha onde, após interrogados, foi lavrado o flagrante e arbitrada a fiança. Depois do recolhimento do valor, os quatro funcionários responderão pelo crime em liberdade. Segundo o delegado José Getúlio, as investigações continuam para identificar outros envolvidos nesse tipo de crime.
 
“Que a ação sirva de exemplo para os demais, pois provocar incêndio sem a autorização  de órgãos competentes é crime, seja em área urbana ou rural. A Polícia Civil está de olho em quem anda cometendo esses crimes de grande gravidade ao meio ambiente”, destacou.