Como nasceu


Como tudo começou? 

Centenas de jornalistas brasileiros já nos escreveram para contarmos como tudo nasceu?

Foi assim...

Bom... A Rede de Notícias, "SBC do Brasil" consiste num Projeto que nasceu de uma conversa de um Grupo de Jornalistas reunidos no Hotel “Laje de Pedra” em Canelas, em 1990 reforçado posteriormente numa outra roda de “bate-papo” de colegas jornalistas, numa lanchonete as margens da Praia de Iracema no Ceará em 1996.

Quem estiver lendo, vai estar se perguntando: que tipo de conversas foi discutido nestas duas rodadas de amigos jornalistas, que levou nascer um projeto de tamanha dimensão e cunho social para a categoria?

Vou relatar.

Falávamos da importância da profissão e dos respectivos profissionais para a sociedade brasileira, para todos os segmentos e organismos sociais privados ou públicos e da tamanha falta de valorização do jornalista no mercado, ao ponto de ali, o grupo se ver na necessidade de fazer chamada "vaquinha" para comprar passagem para três colegas retornar para seus estados; Além disso, por termos deparado com uma situação inusitada, triste no hotel onde estávamos hospedados: um dos colegas do interior do Ceará tinha uma "´página" de notícias e estava hospedado no mesmo hotel, em que na ocasião, também se encontrava ali um grande empresário paulista que estava naquela cidade a negócios. O colega aproveitou para oferecer um anúncio publicitário ao referido empresário para que fosse veiculado em sua página; porém, ali estava hospedado um casal de jornalista carioca de um portal de renome no Rio de Janeiro, mais pouco conhecido no Estado do Ceará. O empresário abriu ambos os sites. Imediatamente foi logo descartando o site do colega cearense com tom de ironia e humilhação, e disse "desculpa, não posso associar o nome da minha indústria a uma página desse nível, vocês jornalistas precisam ser mais criativos"; o colega precisando viajar e estava sem dinheiro até para almoçar e comprar sua passagem de retorno para o sertão cearense. Em seguida o empresário chamou o casal de jornalistas cariocas, já havia olhado o site, na ocasião, ouvi o casal de jornalista exibir um contrato na ordem de R$ 12,0 mil reais pactuados e 30% do contrato a vista.

Na ocasião, reunimos ali com outros colegas, ajudei com R$ 500,00, fui ainda a vários empresários cearenses, narrei os fatos e pedi ajuda para solucionarmos a situação dos colegas, com a ajuda de Deus e as pessoas de bem daquele Estado conseguimos arrecadar mais R$ 700,00 reais e completamos as passagens daqueles que viajariam para outros estados e aquele que tomaria um ônibus para o sertão nordestino de cabisbaixa.

Num Congresso de “AI” ocorrido em Canelas (RS), anos anterior a diferença era que, não havia a personagem de um empresário, e sim, de um político que, após desfazer do impresso periódico de um colega, pela Justiça divina (que até pode tardar mais não é falha) teve seu nome nas mãos da Polícia Federal; fizemos questão de acompanhar todo o desfecho: humilhou mais anos depois foi humilhado pela PF publicamente; o referido político desumano e preso anos depois, recordo que submeteu a uma colega jornalista a humilhação quando ela lhe oferecia uma publicação publicitária. Na ocasião ajudamos a colega retornar para seu estado. Na delegação de MT estava Eu, o jornalista Albert do IPEC (in-memorian), Regina (trabalhava para o Diário de Cuiabá) outro dois. Eu e o finado Albert (com seu coração sensível) ajudamos dois jornalistas a retornar para suas casas comprando passagens.  

A vida dos nossos colegas de 1990 até aqui não tem sido muito diferente. Foram questões assim que, me impulsionaram o desejo de fazer algo, que, pudesse reforçar o orçamento dos nossos colegas de profissão, que proporcionasse a eles a oportunidade de possuir o seu próprio site de notícias e num futuro próximo que pudessem vir trabalhar em seu próprio negócio. Em 1995 cheguei a buscar parcerias com algumas empresas, porém, sem sucesso. Hoje em dia com o “espirito” do capitalismo reinando, as empresas querem investir só naquilo que lhe trás retorno imediato. Não estão erradas. Entre 2006 a 2010 graças ao o avanço galopante da tecnologia, investi sozinho numa plataforma que pudesse solucionar de vez por toda, tudo aquilo que eu sonhava proporcionar aos nossos colegas a um baixo custo: consegui.

Com o nosso projeto pioneiro e já espalhado pelo Brasil para mais de 10 milhões de pessoas, outras empresas tentaram vir a trás com inovações, mas, sempre nos esforçamos para sair na frente, entregando para o jornalista um site de alta tecnologia e designer de primeiro mundo de acordo a tendência web mundial, em que ninguém mais possa virão humilha-los, uma vez que os colegas que ingressarem neste projeto caminharão de igual para igual com qualquer das empresas de renome no Brasil e do fara daqui.

 Foi isso que abasteceu um sonho e hoje se qualquer jornalista pode possuir o seu próprio site de notícias em menos de 24 horas igual a qualquer dos portais gigantes nacionais e internacionais sem se sentirem em diferença.

 

Entrar na Rede SBC Brasil